quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

Show na Besten Itaperuna + DVD !!!

No próximo sábado (19/12/2015) Serguei e a banda Pandemonium estarão realizando um concerto na Besten Itaperuna. O show faz parte das comemorações dos 82 anos do Serguei e toda a festa será registrada em DVD, que será lançado pelo Produtor Marcio Baraldi.



LONG LIVE SERGUEI !!!

terça-feira, 24 de novembro de 2015

Sorteio da revista!!!

(Atualizado dia 01/12/2015)

RESULTADO:


- Douglas Lopes de Oliveira

- Melina de Macedo Magalhaes

- Pâmela Keiti Baena

- Tertulino Lemos Junior


https://www.facebook.com/SergueiNews/photos/a.514585922002280.1073741827.514578885336317/790467721080764/?type=3&theater

-

O portal Serguei News em parceria com o Márcio Baraldi (criador da revista e do DVD "Serguei: O anjo maldito do rock brasileiro") irá sortear QUATRO revistas do Serguei, a primeira dedicada totalmente ao divino do rock em toda a sua história!

Para participar deixe seu nome completo e compartilhe a postagem no facebook. (LINK)

O sorteio será no dia 01/12/2015.

‪#‎SergueiNews‬

segunda-feira, 2 de novembro de 2015

82 anos do Serguei!!!

Domingo, dia 8/11/2015 às 18hs, venha cantar parabéns e comer bolo com o Serguei, a maior lenda viva do rock brasileiro!!! Show histórico da banda Made In Brazil com a participação de grandes nomes do rock nacional: Serguei, Simbas Tutti-Frutti, Ivan Busic, Dr. Sin, Pompeu Korzus, Clemente do Inocentes, Paulão do Velhas Virgens, Rolando Junior Patrulha, Frank Paolilo, Theo Werneck, Tony Babalu e muitos outros. Não perca esta festa histórica!!! No Centro Cultural Vergueiro.

segunda-feira, 28 de setembro de 2015

Serguei - Jovem Guarda

(Enviado em 31 de jan de 2008)



Washington Morais, pesquisador da Jovem Guarda, apresenta parte de seu acervo para o público em geral, destacando neste programa o cantor SERGUEI.

SÉRGIO AUGUSTO BUSTAMANTE (Serguei) 8/11/1933-Rio de Janeiro, cantor cuja carreira artística sempre foi pontuada pela irreverência. Fez parte da Jovem Guarda, da Contracultura e do Movimento Hippie. Um artista irreverente, irriquieto e ousado. Sua primeira gravação, um compacto simples pelo selo Equipe em 1966 trazia as composições "As Alucinações de Serguei" e "Eu Não Volto Mais", com acompanhamento do grupo The Youngsters. Serguei foi amigo pessoal de Janis Joplin e Jim Morrison, pois morou alguns anos nos Estados Unidos. Sua discografia é bastante heterogênea:


1966-As Alucinações de Serguei-CS-Equipe

1968-Eu Sou Psicodélico -LP-Continental,

1970-Ouriço - CS-Polydor,

1972-Alfa Centauro -CS- Orange,

1975-Psicodélico -CS- Groove Records,

1979-Serguei- Samba,Salsa -CD-Arlequim,

1983- Hell's Angels do Rio-CS-Fermata,

1984-Mamãe Não Diga Nada ao Papai-TopTap

1991-Coleção de Vícios - LP-RCA-Victor,

2002-Serguei-Coletânea-CD-Baratos Afins.

2009: Bom Selvagem – CD – Blues Time Records


Estudou teatro com Paschoal Carlos Magno Atuou no filme "Toda Vida em Quinze Minutos", participou do Festival Rock in Rio II em 1991 e no ano de 1997 foi lançada a sua biografia "Serguei, o Anjo Maldito", autor João Henrique Schiller, pela CZA Editora. Kid Vinil assim o definiu:"Serguei é um outsider do rock nacional."

terça-feira, 8 de setembro de 2015

Aos 81 anos, Serguei se prepara para estrear trilogia no cinema que contará sua história



SAQUAREMA - Cercado por seus cachorros em sua casa em Saquarema, o Templo do Rock, Serguei relembra os anos 60 com a mesma precisão com que fala da política atual. São tantas memórias, como no dia em que ele participou de uma festa com Janis Joplin, Jim Morrison e Jimi Hendrix, que elas não poderiam correr o risco de ser esquecidas. Com 81 anos, a lenda viva do rock participa da filmagem de uma trilogia que levará a sua história para o cinema.

— Eu vivo o rock and roll. Ele é quase uma religião para mim. O objetivo do filme é mostrar isso e também, é claro, me divertir, porque o que eu tinha de mais precisoso, o meu pai e a minha mãe, já foram embora. Fiquei sozinho com meus cães, agora só me resta aproveitar — afirma Serguei.

A ideia de exibir nos telões a vida de Serguei partiu do promotor de eventos André Lobato, conhecido como Kaveira.

— O Kaveira é um homem muito talentoso e com uma capacidade incrível para dirigir shows. Ele já falava há algum tempo para fazermos um filme e eu não levava a sério. Só acreditei quando ele voltou dos Estados Unidos, com um motorhome trazido do Texas, estado de Janis Joplin, equipado com toda a estrutura necessária para produzir um moving road — diz.

O primeiro filme da série será o documentário “Ficçodelia”, que terá duração de 80 minutos e que, segundo Kaveira, será lançado em setembro do ano que vem no Festival do Rio.

— Queria fazer algo diferente e dentro de uma unidade de cinema móvel para a filmagem ter uma mobilidade maior. O “Ficçodelia” será uma mistura psicodélica de documentário, cinema e ficção onde vamos reconstituir cenas marcantes vividas por Serguei. Também haverá depoimentos de amigos dele como Alcione, Rita Lee, Erasmo Carlos e Evandro Mesquita — explica o promotor de eventos.

O longa-metragem “Serguei: uma vida sem roteiro”, que dará continuidade à trilogia, só deverá estrear no cinema em 2016.

— Este filme vai ser uma ficção e já começa com a festa dos 100 anos de Serguei no Templo do Rock — adianta Kaveira.

O último filme da trilogia será uma chanchada que ainda não tem nome e que só deverá ser exibida em 2017.

— Convidamos Carlos Loffler, neto do Oscarito, o maior ator de chanchada do Brasil, para representar o papel do Serguei. O longa-metragem vai se passar na Amazônia, local para onde Serguei decide ir para fundar uma comunidade — adianta Kaveira.

Apesar do apoio da Lei Rouanet, a produção também investiu recursos próprios na trilogia. De acordo com Kaveira, o ideal seria encontrar parceiros que pudessem colaborar na produção.

— Precisamos de ajuda para arcar com os gastos da filmagem. Pensamos em fazer esses filmes como um presente para o Serguei. Queremos eternizar a lenda do rock. O objetivo da trilogia é fazer uma boa aposentadoria para ele, que já passou por muitas dificuldades e agora merece viver seus últimos anos em condições melhores. Como ele não tem mais pique para fazer shows, encontramos um jeito de colocá-lo na mídia mais uma vez — afirma o promotor de eventos.



CRÉDITOS:

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/rio/bairros/aos-81-anos-serguei-se-prepara-para-estrear-trilogia-no-cinema-que-contara-sua-historia-14783595#ixzz3lCMXV2Qv © 1996 - 2015. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A.

INFORMAÇÕES ADICIONAIS:

http://novosalic.cultura.gov.br/cidadao/dados-projeto?idPronac=501eac548e7d4fa987034573abc6e179MTg0NTkyZUA3NWVmUiEzNDUwb3RT



sábado, 18 de julho de 2015

YOUTUBE: Serguei - Psicodélico (1966 - 1975)



Com visual/postura rocker-hippie e uma discografia dispersa em raros compactos, Serguei é um ser psicodélico por natureza. Em 67, gravou Eu Sou Psicodélico, As Alucinações de Serguei e o mix de rock-Jovem Guarda-protesto chamado Maria Antonieta Sem Bolinhos. Em 69, com a banda The Cougars, gravou Alfa Centauro, um flerte com o tropicalismo, sem perder a 'acidez'. Ouriço e Burro-Cor-de-Rosa também são clássicos de sua discografia e da psicodelia nacional.
SERGUEI - PSICODÉLICO (1966 - 1975):

Side 1

1. "Burro Cor De Rosa"

2. "Eu Não Volto Mais"

3. "De Sol A Sol"

4. "Eu Sou Psicodélico"

5. "Aventura"

Side 2

1. "Alfa Centauro"

2. "Ouriço"

3. "As Alucinações De Serguei"

4. "Maria Antonieta Sem Bolinhas"

5. "Pegue Zé"




Créditos: http://lagrimapsicodelica3.blogspot.com.br/2015/05/a-psicodelia-dos-60-70-no-brasil.html

quinta-feira, 2 de julho de 2015

SORTEIO: O anjo maldito do rock brasileiro.

(ATUALIZAÇÃO 06/07/2015)
Os ganhadores do sorteio foram:

Diogo Lenon Piel, Izabela Aparecida de Almeida Guedes e Reginaldo Rodrigues de Arruda.

Parabéns aos sortudos da vez!!!

-

O portal SERGUEI NEWS irá sortear nesta segunda-feira, dia 06/07/2015 três do mais recente material lançado sobre o nosso grande herói, Serguei.

Como participar:



Não fique de fora! Acesse a página do Serguei News no facebook e concorra!

-

DETALHES SOBRE O DVD:

SERGUEI - O Anjo Maldito do Rock Brasileiro.

Ele é o roqueiro mais antigo do Brasil... e o mais louco!!! Com mais de 80 anos de idade e 50 de carreira, Sergio Augusto Bustamente, o Serguei, tem muita história para contar. Morou nos EUA, foi comissário de bordo, dançou com Gina Lollobrigida, namorou Janis Joplin, bebeu com Jimi Hendrix e Jim Morrison, foi eleito trila sonora oficial dos Hell's Angels do Brasil, tocou para 50 mil pessoas no Rock In Rio. Desde os anos 60, Serguei vem divertindo sucessivas gerações com seu Rock'n'Roll bem humorado e seu jeito extravagante e ao mesmo tempo despojado de ser. Neste documentário pioneiro e inédito, você vai conhecer toda a trajetória do maior artista underground do Brasil. Com depoimentos exclusivos de Serguei e de grandes nomes da cena roqueira nacional como Ritchie, Paralamas do Sucesso, Made In Brazil, Barão Vermelho, Kid Abelha e muitos outros, você vai entender porque Serguei é, desde sempre, uma das figuras mais lendárias do rock brasileiro. Acompanha o documentário um DVD bônus recheado de extras preciosos como shows raros, clipes e participações em programas de TV. Mais do que um item de colecionador, um verdadeiro documento do rock e da cultura alternativa brasileira. Anjo Serguei, abre as asas sobre nós!...

Um documentário de Marcio Baraldi.



www.SergueiNews.blogspot.com

www.facebook.com/SergueiNews

quinta-feira, 7 de maio de 2015

CONTRACULTURA E PSICODELIA NO BRASIL

Mensagem enviada por Igor Fernandes Pinheiro:

"Olá, passei os últimos 4 anos pesquisando a contracultura brasileira no âmbito musical, disto resultou a dissertação" Não fale com paredes: contracultura e psicodelia no Brasil". Um dos personagens explorados na pesquisa é o Serguei. Alguns capítulos da dissertação são dedicados a carreira artística e seus lançamentos fonográficos. Segue o link e o resumo: Resumo: A proposta desta dissertação é trazer à tona agentes históricos que participaram de manifestações relacionadas ao rock, produzindo no Brasil músicas e comportamentos associados a contracultura e a psicodelia. O esforço empreendido tem como objetivo analisar atores históricos da música brasileira que não são privilegiados pela bibliografia, em detrimento de nomes consagrados presentes no imaginário e nas narrativas históricas referentes à canção no país. Desta forma, a dissertação direciona o foco para artistas no âmbito dos anos sessenta e setenta com ênfase no rock como estética musical e matriz comportamental, através de uma análise pertinente ao fenômeno histórico da contracultura e suas especificidades. Dialogando assim com os demais movimentos musicais presentes no Brasil durante este período, demarcando espaços integrantes deste processo histórico, assim como os demais atores históricos e instituições que dele participavam.A palavra psicodelia é empregada no sentido estético-musical alinhado à contracultura, capaz de realizar um som experimental, distorcido e subjetivo, cujos temas das composições, além de referenciar as drogas psicoativas, também podem conter discursos relacionados a pensamentos de liberdade, comportamento rebelde, estilo de vida jovem, diversão, natureza e temas políticos.O recorte temporal da dissertação tem ênfase no período que vai de 1965, quando ocorre a eclosão da Jovem Guarda no Brasil, ao ano de 1979, porém os comportamentos e as influências ocorridas durante os anos cinquenta e primeira metade da década de sessenta são referenciadas ao longo dos capítulos, assim como elementos posteriores aos anos setenta, influenciados por este contexto."

Link: http://www.historia.uff.br/stricto/td/1947.pdf



http://www.facebook.com/SergueiNews/

domingo, 18 de janeiro de 2015

Serguei, o ícone folclórico e exótico que carrega o arquivo do Rock

Em um espaço psicodélico com uma conversa pra lá de descontraída Serguei conta um pouco da sua história.



Sem irmãos, filho único, perdeu toda a família mas sobrou para Sérgio Augusto Bustamante muita coisa do passado que vive junto com ele no Templo do Rock, lugar que traz também histórias de outros artistas. Um ícone folclórico e exótico com muita informação da história do rock mundial, o arquivo do rock. Perguntei, quem é Serguei? E em sua própria definição e ele respondeu: “Sou um bicho solto, não tenho sexo nem idade eu ando solto pela cidade”.

Continuando o papo, logo no início ele me contou que o ônibus na frente do Templo do Rock será utilizado em um longa-metragem biográfico sobre esse sensacional artista brasileiro. Produzido por André Kaveira e com interpretação de Eriberto Leão, com previsão para lançamento em abril de 2015, Serguei falou que a história do filme gira em torno de sexo, drogas e rock’n’roll.



Tem algum artista contemporâneo que você percebe alguma influência do seu trabalho?

Serguei: Artista hoje não mas serei representado por Eriberto Leão em um filme com a história da minha vida, produzido por André Lobato (Kaveira), talvez essa seja a maneira mais próxima de chegar ao meu trabalho.



Alguém que você acha que dê continuidade ao seu trabalho, ou que você acredita que beba da sua fonte?

Serguei: Eu acho que não. O Rock’N’Roll é um estilo de vida raríssimo, poucas as pessoas conseguem seguir da maneira que eu segui, a música decaiu muito no mundo inteiro e no Brasil quero que eles enfiem o sertanojo no cú. A gente sabe de samba, rock, blues etc.

Você está com 81 anos, certo? Qual foi o ápice da sua vida artística, como músico?

Serguei: Você está velho porque você não está novo, então, ninguém é velho e ninguém é novo. Você está novo, mas você vai está velho e quando eu estava novo, com 30 anos que vivenciei os melhores momentos da minha carreira. Nessa época eu conheci Janis Joplin, Jim Morrison e mais alguns outros artistas, está tudo registrado aqui no Templo do Rock por fotos. Eu não vi envelhecer, hoje eu olho pra mim para a minha energia, a minha loucura, o sexo, o tesão, não perdi porra nenhum.

O que mais te excita na vida?

Serguei: Ver um garotão de sunga, risos, hoje todo mundo usa só Maria Mijona. Mas eu sou da geração dos cabelos desgrenhados, das pinturas, da loucura solta, da liberdade, da doidera, do rock’n’roll e é isso me excita mais.

Diabo e Serguei, fala desse duelo

Serguei: Eu sou o próprio Diabo! O anjo maldito do rock brasileiro, um pouco de anjo e um pouco de demônio.

Indica um som que você gosta para a galera que acompanha o Sou Música

Serguei: Eu ouço música de um modo geral, do clássico ao samba. Eu gosto bastante de Zeca Pagodinho, que é interprete da malandragem carioca, e Martinho da Vila. Mas eu escuto de acordo com o sentimento. Quando estou apaixonado gosto de ouvir Ângela Maria, a maior cantora de música popular brasileira, é isso.





Eu me despeço do Serguei quando o seu almoço chega, para não atrapalhar a refeição, aí ele disse “tchau, obrigado, foi um prazer falar com você e fecha o portão para os cachorros não fugirem.”



Assista a mensagem que Serguei deixa para todos vocês e principalmente os mineiros:





FOTOS:









FONTE: http://www.soumusica.com.br/entrevistas/serguei-o-icone-folclorico-e-exotico-do-rock/